Política

Superação da violência é tema de discussão durante Audiência Pública em Macapá

Com um trabalho de ações preventivas, a Polícia Militar atua em escolas da Zona Norte de Macapá, com o projeto Policiamento Escolar.

Compartilhe:

Como forma de despertar o envolvimento da sociedade amapaense para o debate e superação da violência, o vereador de Macapá Professor Rodrigo (Rede / Sustentabilidade) reuniu autoridades, membros da sociedade civil organizada e a comunidade em geral para uma Audiência Pública sobre a Campanha da Fraternidade 2018.

 

Motivada todos os anos pela igreja católica através da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Campanha da Fraternidade deste ano traz como tema “Fraternidade e Superação da Violência”, cujo objetivo é “constituir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência”. Entre tantos tipos de violência vivenciados pela sociedade foram destaques do debate durante a Audiência, a violência contra os jovens, contra os povos rurais e tradicionais, contra a mulher e a família, violência psicológica e a violência nas escolas.

 

“Nós queremos um envolvimento de toda a sociedade para um despertar de que todos nós temos que contribuir para a superação da violência, e implementar políticas como práticas restaurativas. Sempre nos colocando a  disposição para dar retorno de tudo o que for colocado aqui e ao mesmo tempo daquilo que almejamos”, destacou Rodrigo.

 

De acordo com desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Amapá e membro titular da Coordenadoria Estadual da Mulher em situação de violência doméstica e familiar do Estado do Amapá, Carmo Antônio de Souza, o combate a violência familiar e contra a mulher é uma política trabalhada de forma intensa pela Conselho Nacional de Justiça. “Inseridos nessa política nacional, nós buscamos a pacificação e principalmente conscientizar o homem que a violência contra a mulher e contra a família tem que acabar”, declarou.

 

Com um trabalho de ações preventivas, a Polícia Militar atua em escolas da Zona Norte de Macapá, com o projeto Policiamento Escolar. De acordo com o comandante, Tenente Silvio Ferreira, o projeto objetiva a construção da cultura de paz. “Trabalhamos com ações preventivas que coíbam as práticas de violência. Todos nós somos responsáveis pela segurança através de uma denúncia ou informação”, ressaltou.

 

A psicóloga e coordenadora de Promoção Humana da Comunidade Católica Shalom, Jairene Lima, ressaltou causas do aumento casos de violência psicológica, e propôs sugestões para a superação deste tipo de violência. “Quando um adulto não tem oportunidade de trabalhar ou estudar ele sofre uma pressão pscológica muito grande, por exemplo. Por isso, gostaria de fazer uma sugestão, nós precisamos de centros de referência que possam estar a disposição de atender a juventude com assistentes sociais e psicólogos”, pediu Jairene

 

Estiveram presentes ainda no evento, o vereador jovem Mateus Natividade; o coordenador da Pastoral da Terra, Padre Sisto Magro; o diácono e coordenador diocesano da Pastoram Carcerária, Davi Serrão; a psicóloga do Juizado da Infância e Juventude, Hannia Rocha.

 
Compartilhe:

Tópicos: