Última Hora

Operação conjunta apreende quase 60 kg de crak em Santana

Droga estava enterrada em uma propriedade no ramal do Delta do Matapi, em Santana. Um homem que receberia R$ 5 mil pela guarda da droga foi preso


Compartilhe:

Uma operação conjunta entre Polícia Federal (PF), 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM) e canil da Polícia Civil resultou na apreensão de 59 quilos de droga (crack) que estavam enterrados em uma propriedade rural no ramal do Delta do Matapi, em Santana, distante 17 quilômetros de Macapá.

A operação foi deflagrada na tarde dessa segunda-feira, 23, após investigação iniciada a partir de denúncia anônima. “Havíamos recebido a informação de que esse carregamento já estava em Santana. A partir de então montamos uma força tarefa para identificar onde o produto entorpecente estava sendo armazenado. Conseguimos, com êxito, chegar à pessoa que fazia a guarda da droga”, disse o delegado federal Bruno Benassuly.

O produto ilícito era guardado por Francisco Alves Corrêa, o ‘Ceará, que trabalha como carregador na área portuária de Santana há 20 anos. Em depoimento na Superintendência da Polícia Federal, em Macapá, o homem revelou ser o dono do terreno, e que foi procurado por um homem de sotaque estranho – que seria um colombiano – e que lhe fez a proposta de pagar R$ 5 mil pela guarda do ‘bagulho’.

A droga chegou à Santana na noite de domingo. “O suspeito pegou o carregamento em um barco na área portuária. De lá ele transportou a droga em uma caminhonete até a propriedade onde o crack foi enterrado. A ajuda do cão nas buscas foi fundamental. Esse trabalho integrado evitou que essa droga, de alto poder viciante, chegasse a centenas e até milhares de pessoas”, disse o tenente M. Fernandes, do 4º BPM.

A Polícia Federal não revelou maiores detalhes para não comprometer as investigações, mas adiantou que está investigando a origem e o destino do produto, e que já existem alguns suspeitos sendo sondados.

 

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *