Artigos

Adultos usam chupeta e se vestem como bebês para ter prazer

TRABALHO ACADÊMICO   Adultos que usam chupeta e se vestem como bebês para ter prazer são adeptos da prática do infantilismo.   Você já deve ter ouvido a expressão “mantenha sempre viva sua criança interior”, ou algo assim. Pois bem, existem casos em que esta “criança interior” é externada de maneira intensa a ponto de […]

Compartilhe:

TRABALHO ACADÊMICO

 

Adultos que usam chupeta e se vestem como bebês para ter prazer são adeptos da prática do infantilismo.

 

Você já deve ter ouvido a expressão “mantenha sempre viva sua criança interior”, ou algo assim.


Pois bem, existem casos em que esta “criança interior” é externada de maneira intensa a ponto de levar adultos a se comportarem como crianças, usando roupas de bebês (mandam fazer e adaptam para o seu corpo), mamadeira, chupeta e até fraldas.

Falam e se comportam como um bebê. Dormem em berços e brincam com seus ursinhos de pelúcia, bonecas e todos os mimos que um bebê ficaria encantado. O enxoval completo. Este cenário é típico do infantilismo.

 

Importante frisar que o infantilismo não é pedofilia. Embora provoque excitação sexual na maior parte das pessoas que praticam, nem sempre o infantilismo inclui sexo – nem mesmo masturbação.

 

Trata-se de uma parafilia, nome dado ao padrão de comportamento sexual em que a fonte predominante de prazer não se encontra na transa em si, mas em outras atividades ou fetiches.

 

O infantilismo é o desejo do indivíduo de ser tratado como um bebê no sentido literal da palavra.

 

Alguns praticantes acham que se trata de um fetiche, mas grande parte dos profissionais de saúde acredita que é uma psicopatologia.

 

O sexo nessas circunstâncias não tem nenhuma relação com a pedofilia, pois não envolve crianças, e sim adultos que se vestem de bebês, com fraldas, chupetas, mamadeiras e outros apetrechos.

O infantilismo nunca pode ser confundido com pedofilia ou qualquer prática imoral e criminosa, pois suas práticas jamais envolvem crianças, e sim o desejo de se tornar uma criança.

 

No infantilismo tem-se os bebês-adultos que sentem um prazer muito grande em agir de maneira infantil, com dengos e jeitos característicos de um bebê.

 

Muitos adeptos do infantilismo não associam esta prática com intenções ou conotações sexuais, pois, o prazer em ser como um bebê satisfaz, possivelmente porque o faz relembrar e reviver as sensações agradáveis que teve na própria infância.

O tema é interessante e provocativo, pelo que todos os leitores estão convidados a lerem mais sobre o assunto e cada um formar sua própria opinião.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *