Artigos

Outubro Rosa: conscientização e prevenção!

Símbolo da feminilidade e da sobrevivência da humanidade, pois (na qualidade de seres mamíferos) todos(as) nós, um dia, fomos totalmente dependentes do aleitamento materno… as mamas (e não “seios” = cavidade, orifício, ou buraco, no popular) são objeto de estudo de um importante ramo do conhecimento médico especializado, que é a Mastologia, área de atuação da Ginecologia.

Compartilhe:

Adivaldo Vitor Barros
Medico

 

Há,aproximadamente, 03 (três) décadas, o décimo mês do ano tem sido reservado para relembrar a importância/necessidade da atenção e prevenção com a saúde das glândulas mamárias, desde o início da década de 90! Apesar de todos os esforços e campanhas, a doença ainda está dentre as três que mais matam a população feminina…

 

Símbolo da feminilidade e da sobrevivência da humanidade, pois (na qualidade de seres mamíferos) todos(as) nós, um dia, fomos totalmente dependentes do aleitamento materno… as mamas (e não “seios” = cavidade, orifício, ou buraco, no popular) são objeto de estudo de um importante ramo do conhecimento médico especializado, que é a Mastologia, área de atuação da Ginecologia.

 

Ambos os sexos nascem com os tecidos mamários bilateralmente; porém, no período pré-puberal, quando as características sexuais secundárias passam a ficar evidentes, por ação do eixo hormonal hipotalâmico-hipofisário-gonadal, as mamas tendem a desenvolvem, em 04 (quatro) graus diferentes de estágios (Tanner) em meninas, ficando esse processo involuído em meninos.

 

Recomenda-se que, a partir da menarca (primeira menstruação), quando a moçinha precisará frequentar, anualmente, consultas médicas especializadas, que sejam ensinados cuidados básicos de higiene feminina e preveção de doenças, incluindo o auto-exame mensal das glândulas mamárias.

 

Apesar de não termos um Consenso, em que as diversas Especialidades preconizem essa ou aquela época para cuidados e exames complementares, a abordagem clínica personalizada é, e sempre será, a maior “arma” no arsenal terapêutico para cuidados e precauções quanto às possíveis complicações e desfechos!

 

Por isso, USG (ultra-sonografia) de mamas/axilas; exames laboratoriais específicos (hormonais e bioquímicos; além de marcadores tumorais), coleta de secreção das mamas (quando houver descarga de: pus, sangue ou outras secreções ao exame físico), biópsias guiadas por USG e a mamografia bilateral serão recomendadas (cistos e/ou nódulos), conforme o perfil da paciente, queixas clínicas, história familiar, evolução clínica e hipóteses diagnósticas levantadas pelo (a) MD (médico/a) Assistente.

 

Contudo, muita CALMA nessa hora!!! Todo e qualquer cisto/nódulo mamário é sinal de neoplasia maligna (câncer)??? Lógico que não! Toda enfermidade das mamas tem indicação de mastectomia (retira cirúrgica) parcial ou total??? Também não! Todos os possíveis diagnósticos em lesões mamárias vão precisar, obrigatoriamente, de QT (Quimioterapia) e/ou de Radioterapia? Não…não… e: NÃO!

 

Por todas as razões anteriormente elencadas, a prevenção ainda será melhor, mais barata, mais simples e menos dolorosa; tanto no aspecto físico, quanto emocional e até social! Precisamos quebrar esse verdadeiro “tabu”, de não falar, comentar ou mesmo tratar do tema CÂNCER de mamas. Se é melhor prevenir do que remediar; para que você (adolescente, jovem, mulher adulta, madura ou mesmo na terceira idade) iria arriscar perder sua saúde, qualidade de VIDA ou mesmo encurtar sua sobrevida?!

 

Até mesmo a Lei 12.732/2012 apóia e incentiva o atendimento preferencial, com agilidade, às mulheres usuárias do SUS (Sistema único de Saúde), priorizando as intervenções necessárias para cada caso de tumor maligno, a partir do diagnóstico confirmado…

 

Pelo fato de ser uma doença multifatorial, não existe causa única para desenvolver a neoplasia de mama. Daí, seguem algumas dicas válidas, que poderão ajudar na prevenção da doença, conforme o Ministério da Saúde / M.S.: a) pratique uma atividade física, regularmente; b) evite o fumo (pare de fumar) e o consumo frequente de c) bebidas alcoólicas; mantenha sua d) alimentação a mais saudável possível (conservas, condimentos e doces são venenos); e) mantenha o peso saudável para sua altura e idade; f) amamentar também confere proteção às mamas; g) evite uso de ACOs (anticoncepcionais orais) e hormonioterapia sintética, sem orientação médica (MUITO cuidado com a auto-medicação)!

 

Então, vamos alertar, conversar, trocar idéias e experiências sobre o câncer de mama! Vamos incentivar o auto-exame e as consultas anuais de preveção!  Irmãs, primas, tias, mães, avós, sobrinhas, afilhadas, netas… todaselas merecem nosso cuidado e proteção; porque, segundo o sábio e antigo adágio popular: “quem tem boca, vai à Roma”…

 

*Fontes: FEMAMA, INCA, MS

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *