Cidades

Alaor Azambuja fala de infância e juventude

Procura de garantia e eficiência na atuação ministerial

Compartilhe:

O promotor de justiça Alaor Azambuja esteve na manhã deste sábado, 7, no programa ‘Togas e Becas’ (Diário 90,9), para falar sobre as atribuições da Promotoria da Infância e Juventude Cível Administrativa de Macapá, da qual é titular.

Azambuja é membro aposentado do Ministério Público do Amapá, que a seu pedido teve reversão da aposentadoria aprovado pelo Conselho Superior do próprio MP-AP, por estar de acordo com os parâmetros legais. Ele está na Promotoria de Infância e Juventude desde agosto de 2018.

No programa Togas e Becas, o promotor confessou que voltou para o Ministério Público, mesmo com direito a gozar de aposentadoria, ao conversar muito com os seus familiares, após constatar que não teve “muita competência para advogado”. Ele é um dos maiores tribunos do Tribunal do Júri no Amapá.

Azambuja esclareceu que a Promotoria da Infância e Juventude Cível Administrativa não funciona como Central de Matrícula, como parece, em virtude da grande demanda que recebe sobre essa questão.

Ele explicou que só entra em ação em busca de colocação de estudantes em escolas, no período ou após a chamada escolar, quando algum educandário insiste em não abrir vaga.

O promotor de justiça também explicou que na saúde, sobre medicamento e marcação de consulta, principalmente, às vezes tenta resolver questões administrativamente, mas que isso também é dever da Defenap.

Alaor Azambuja também discorreu sobre conselho tutelar, família acolhedora e Caop, entre outros temas. Em linhas gerais, o promotor de justiça mostrou que o órgão que ele dirige atua na proteção dos interesses das crianças e dos adolescentes, procurando sempre garantir a eficiência e a eficácia da atuação ministerial na área infanto juvenil.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *