Cidades

Amapá Mais Forte: Estado e parceiros lançam programa de fortalecimento da economia

Governo estadual já garantiu R$ 15 milhões para financiamentos das mais diversas atividades econômicas.

Compartilhe:
O Governo do Estado e os parceiros Sebrae, Banco do Brasil (BB), Banco da Amazônia (Basa) e a Caixa Econômica Federal lançaram nesta quarta-feira, 2, o programa Amapá Mais Forte, para o fortalecimento da economia e do empreendedorismo amapaense, em meio à crise causada pela pandemia e pela interrupção do fornecimento de energia em 13 municípios.

Inicialmente, o Estado disponibilizou R$ 15 milhões pela Agência de Fomento do Amapá (Afap) e também firmou as parcerias para ofertar linhas de crédito aos empreendedores, assim possibilitando o financiamento para as mais diversas atividades econômicas em todo Amapá.

“Hoje lançamos o Amapá Mais Forte que é um plano para o fortalecimento da economia. É a concepção que juntos nós podemos seguir em frente gerando mais oportunidades para os amapaenses. Isso é para nós acreditarmos em um fim do ano com maior circulação de dinheiro e mais geração de empregos”, destacou o governador do Amapá Waldez Góes.

A partir de quinta-feira, 3, os atendimentos já estarão disponíveis em vários locais, como na Afap, Sebrae (que vai oferecer orientações e consultorias), Superfácil e também nas unidades bancárias parceiras. Haverá também ações itinerantes e atendimentos agendados para evitar aglomeração e contaminação da covid-19.

 

Injeção financeira

Até o fim de dezembro o governo vai cumprir também um cronograma de pagamentos que prevê a injeção financeira de R$ 476,3 milhões na economia com a folha do funcionalismo público, 13º salário – confirmado pelo governador para esta quinta-feira, dia 3 de dezembro –, pagamentos de programas sociais como Amapá Jovem, parcela de dezembro e mais a 13ª parcela do Renda para Viver Melhor (também dia 3), pagamentos de fornecedores, repasses para municípios, entre outros recursos financeiros previstos para serem injetados na economia.

 

Cultura

A economia também será aquecida através da cultura com o fomento de R$ 16 milhões, recursos da Lei Aldir Blanc, que será executada no cenário local por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *