Cidades

Defesa Civil monitora aumento no volume de chuvas no Amapá

Cabeceiras de rios recebem aumento excessivo de chuvas, o que pode causar alagamento em diversas regiões do estado

Compartilhe:

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cedec), órgão ligado ao Corpo de Bombeiros Militar (CBM/AP), vem monitorando os locais onde está sendo registrado um grande volume de chuvas nos últimos dias. Os trabalhos iniciaram depois que o órgão recebeu informações do aumento das chuvas nas cabeceiras das principais bacias hidrográficas do Estado como os rios Cassiporé, Tartarugal Grande, Amaparí, Falsino e Jari.

As informações foram prestadas pelo do Núcleo de Hidrometeorologia e Energias Renováveis (NHMET), do Instituto de Pesquisas Cientificas e Tecnológicas do Amapá (Iepa). Segundo o NHMET, o período chuvoso chegou mais cedo pela influência do fenômeno La Ninã, que diminuiu o período de estiagem no Amapá ocasionado chuvas a partir de novembro.

A Cedec recomenda às famílias que moram em locais que apresentam risco de deslizamento, que acionem a Defesa Civil pelo número 193 ou pelo 4009-9195. Outra recomendação é para que a população evite contato com a água da chuva que escorre pelo chão, para não contrair doenças como leptospirose.

“É importante proteger as mãos com luvas; os pés com botas e, se não tiver esses materiais, improvisar com sacolas plásticas. A pessoa deve evitar o contato com a água, principalmente aquela barrenta”, orientou o secretário-executivo da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, coronel Alexandre Veríssimo.

Em caso de alagamento em casa, é importante desligar equipamentos eletrônicos evitando, assim, o risco de descarga elétrica, lembra Veríssimo. A Defesa Civil também chama a atenção para o perigo de tomar banho em canais em épocas de alagamento. “Estes locais podem estar contaminados em função do grande volume de água recebida de vários pontos”, alerta o militar.

Para quem é apanhado de surpresa na rua quando a chuva cai, a orientação e evitar se abrigar debaixo de árvores por causa do risco de queda do tronco e manter-se distante de postes, por causa do risco de descargas elétricas.

No caso do consumo de água, a Defesa Civil recomenda que se consuma água filtrada ou fervida ou se utilize hipoclorito de sódio. Pois, ajudam a combater os germes e evitam problemas de saúde.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Um comentário em “Defesa Civil monitora aumento no volume de chuvas no Amapá”

  • Mergulhador disse:

    A defesa Civil poderia divulgar uma lista com os pontos de risco, para evitar que motoristas tenham a infeliz surpresa de voltar e ver seu veículo boiando. Seria de muita serventia para a população, todo tempo só informam que existem áreas de risco mas nunca dizem onde é.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *