Cidades

Em 2019, mais de 100 mil adultos do Amapá estavam hipertensos

Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2019, divulgada pelo IBGE nesta semana, traz dados sobre doenças crônicas, como diabetes, hipertensão, colesterol alto, doenças cardíacas, saúde mental e bucal.

Compartilhe:

Da Redação

 

A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2019, feita pelo IBGE e divulgada na última sexta-feira (19), trouxe dados sobre a percepção do estado de saúde, doenças crônicas e saúde bucal dos amapaenses. A Pesquisa estimou que 18,2% da população de 18 anos ou mais (101 mil pessoas) receberam diagnóstico de hipertensão arterial em 2019.

Entre os hipertensos, 77,7% afirmaram ter recebido assistência médica para a doença nos 12 meses anteriores à entrevista. A incidência deste diagnóstico aumentava com a idade: no grupo etário dos 18 a 29 anos, apenas 1,3% estavam hipertensos, mas essa proporção sobe para 63,7% entre a população com 75 anos ou mais de idade.

 

 

Diabetes
A PNS 2019 estimou que 4,3% da população com 18 anos ou mais receberam diagnóstico de diabetes, o equivalente a 24 mil pessoas. As mulheres (4,9%) apresentaram maior proporção de diagnóstico de diabetes que os homens (3,7%). Cerca de 48,5% das pessoas receberam assistência médica para diabetes em uma Unidade Básica de Saúde.

Colesterol
De acordo com o estudo, 10,4% das pessoas de 18 anos ou mais de idade (58 mil) tiveram diagnóstico médico de colesterol alto no Amapá. As mulheres apresentaram proporção maior de diagnóstico médico de colesterol alto (13,3%) do que os homens (7,3%).

Doença cardíaca
Cerca de 11 mil pessoas, com 18 anos ou mais (2% desse grupo etário), receberam diagnóstico médico de alguma doença do coração. Observou-se que 23,8% dessas pessoas já haviam se submetido a alguma cirurgia de ponte de safena, colocação de stent ou angioplastia. Para os homens (38,4%), essa proporção era mais do que o dobro daquela observada para as mulheres (15,2%).

Entre a população adulta, 2,7% referiram diagnóstico de AVC ou derrame, representando aproximadamente 15 mil pessoas de 18 anos ou mais de idade. A proporção de pessoas com diagnóstico médico de AVC aumentou conforme a idade avançava: variando de 0,1% entre as pessoas de 18 a 29 anos, e até 15,7% entre as com 75 anos ou mais de idade.

 

Coluna
Em 2019, aproximadamente 15% das pessoas com 18 anos ou mais de idade (84 mil) referiram problema crônico de coluna no Amapá. Cerca de 42 mil amapaenses informaram diagnóstico de artrite ou reumatismo (7,6%). Destes, 33 mil eram mulheres.

Saúde mental
Em 2019, foi estimado que 4,5% da população com 18 anos ou mais de idade tinha recebido diagnóstico de depressão, por profissional de saúde mental. Amapá, Amazonas e Pará apresentam as menores proporções de pessoas com diagnóstico de depressão.

Verificou-se que havia uma maior prevalência desta doença sobre pessoas do sexo feminino: 6,9% contra 2% dos homens. A faixa etária com maior proporção foi a de 65 a 74 anos de idade (10,7%), enquanto o menor percentual foi obtido na de 30 a 59 anos (3,7%).

Observou-se, também, maior prevalência em pessoas com mais escolaridade: pessoas com ensino médio completo e superior incompleto (5,2%) e pessoas com ensino superior completo (8,4%).

Saúde bucal
Em 2019, 95,6% das pessoas com 18 anos ou mais escovavam os dentes pelo menos duas vezes por dia. Já a proporção de adultos que usavam escova de dentes, pasta de dente e fio dental para a limpeza era de 62,7%. Entre os homens foi de 59,5% e, entre as mulheres, 65,7%.

Entre os adultos, 60,5% trocavam a escova de dente por uma nova com menos de três meses de uso. Entre os mais jovens, esse hábito foi mais frequente que entre os mais velhos, assim como entre as pessoas com maior nível de instrução. A PNS 2019 estimou que, naquele ano, 237 mil pessoas com 18 anos ou mais de idade haviam feito uma consulta odontológica nos últimos 12 meses anteriores à data da entrevista.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *