Cidades

Equatorial Energia assume controle da distribuidora CEA no Amapá

O Grupo prevê melhoria do serviço ofertado e também o aprimoramento do atendimento aos consumidores amapaenses.

Compartilhe:

Por Paulo Silva
da Editoria de Política

 

Em duas assembleias de seu conselho de administração e de acionistas marcadas para esta terça-feira (23), a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) deixa de pertencer oficialmente ao governo do Amapá e passa para o controle Equatorial Energia. O grupo diz que atende 22% do território nacional e 9% dos consumidores brasileiro. O futuro presidente da CEA será Augusto Dantas.

A Equatorial Energia tem forte atuação no setor elétrico nos segmentos de distribuição, transmissão, geração, comercialização, além da área de telecomunicações e serviços. As empresas que fazem parte do Grupo são: Equatorial Maranhão, Equatorial Pará, Equatorial Piauí, Equatorial Alagoas, Geramar, Equatorial Transmissão, Intesa, Equatorial Telecom, Sol Energia, Equatorial Telecom, Equatorial Serviços e, a mais recente aquisição, a CEEE-D no Rio Grande do Sul.

Em junho deste ano, na sede da B3, em São Paulo, a Equatorial Energia, venceu o leilão de privatização da CEA e agora assumirá a concessão do serviço de distribuição de energia elétrica para 845 mil habitantes e 209 mil clientes. O Grupo prevê melhoria do serviço ofertado e também o aprimoramento do atendimento aos consumidores amapaenses.

Após apresentar a proposta de maior outorga fixa ao estado, com o valor de R$ 49.932,24, o Grupo Equatorial assinou um contrato de 30 anos e se compromete com o aumento de capital da CEA, no valor mínimo de R$ 400 milhões, na data de liquidação do leilão. Foram ofertados 99,864% do capital social da CEA, conforme informou ao mercado em fato relevante.

Para Augusto Miranda, CEO da Equatorial Energia, a aquisição da CEA traz muitos benefícios para o portfólio do Grupo. “Entendemos que compramos com um bom retorno, que agrega valor à Equatorial e que se encontra numa região que já estamos acostumados a operar. Estamos confiantes que realizamos um bom investimento seguindo a tradição da Equatorial Energia de alocação de capital de forma criteriosa e eficiente”, explica o CEO do grupo.

A empresa afirma que a população do Amapá contará com muitos benefícios, como o aumento do investimento que trará maior confiabilidade à rede e geração de empregos; expansão da rede; atendimento à população de forma rápida e eficiente por meio de canais presenciais e digitais; recolhimento e pagamento do ICMS (que poderão ser convertidos em melhorias na educação e saúde para os amapaenses), entre outros.

Investimentos – A Equatorial tem um plano de ação bastante robusto já nos primeiros 100 dias, que prevê um conjunto de iniciativas nas áreas técnicas, operacionais, comerciais e de relacionamento com o cliente. O foco é a melhoria da qualidade dos serviços, melhor atender aos clientes e agir no combate às perdas totais e regulatórias, que estão em patamares muito elevados, deixando a população em situação de risco (ligações clandestinas e gambiarras) e que prejudicam a eficiência operacional da concessão.

 

 

 

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *