Última hora Polícia Política Cidades Esporte
Cidades

Estado vai ampliar sistema de água de comunidades de Sucuriju e Araquiçaua, em Amapá

Caesa irá realizar as obras que beneficiarão mais de 100 famílias do município.


O Governo do Amapá vai ampliar o sistema de água das comunidades do distrito de Sucuriju e Araquiçaua, localizadas na foz do Oceano Atlântico, no município do Amapá, atendendo cerca de 100 famílias da região.

 

O Estado já adquiriu 110 caixas d’água com capacidade de 5 mil litros, que chegaram ao Amapá na última quinta-feira, 13, e serão distribuídas para todas as residências das localidades.

 

Além disso, a Companhia de Água e Esgoto (Caesa), em parceria com a Prefeitura do Amapá, através do prefeito Carlos Sampaio, construirá um sistema que armazenará cerca de 550 mil litros de água. A Caesa forneceu as caixas e a Prefeitura produzirá as bases das caixas d’água e as calhas de coleta que levarão a água das chuvas até as residências.

 

“Esse sistema vai melhorar muito a qualidade de vida dos moradores da Vila, pois fará com que não precisem mais transportar água das cisternas até suas casas, além de armazenar o suficiente para não precisar de revezamento no verão”, disse Valdinei Amanajás, diretor-presidente da Caesa.

 

Com auxílio do recurso disponibilizado pelo senador Lucas Barreto, a previsão de entrega do sistema é até julho deste ano. Sampaio detalha a parceria firmada.

 

“Nós compreendemos as dificuldades da população e formamos essa resolução conjunta entre o Governo, através da Caesa, a Prefeitura e o senador Luca Barreto, para solucionar os problemas de forma rápida e eficaz”, disse o prefeito.

 

Sucuriju possui hoje duas cisternas que abastecem a população com água recolhida das chuvas, devido o Oceano tornar a água imprópria para consumo, por isso a necessidade de expandir a rede de água.

 

“A implantação das caixas d’água vai chegar a aproximadamente o dobro do volume de água e atingir cerca de 100% da capacidade de reservação. Isso será o suficiente para abastecer toda a população”, finaliza João Paulo Monteiro, diretor operacional da Caesa.


Comente