Política

Advogado de Valdenor Guedes rechaça declaração de Pedro DaLua

Segundo Marcelino Freitas, defesa do PSC induziu juiz eleitoral a erro e diz que acusação de autofalsificação é “leviana e criminosa”.

Compartilhe:
Advogado Marcelino Freitas

Defensor do ex-deputado federal e ex-presidente do PSC Valdenor Guedes, o advogado Marcelino Freitas rechaçou na manhã desta quarta-feira (07) no programa LuizMeloEntrevista (DiárioFM 90,9) a declaração do atual presidente do partido, deputado estadual Pedro DaLua, de autofalsificação na assinatura de uma procuração que ensejou a concessão de medida liminar para que o partido disputasse as eleições de 2018, taxando-a de “leviana e criminosa”.

 

“É lamentável uma declaração dessa vinda de uma pessoa pública que tem reputação ilibada; o pastor Valdenor era presidente do PSC e teve a sua assinatura falsificada para que os candidatos do partido pudessem concorrer no pleito e induziram o magistrado a erro e concedeu liminar permitindo que os candidatos do PSC concorressem; acontece que aquela assinatura é falsificada, e é impossível alguém falsificar a própria assinatura; a falsificação é latente, foi confirmada nos autos pelo laudo grafoscópico, com o grande intuito do Pedro DaLua e seus asseclas concorrerem no pleito; na verdade quem será responsabilizado é quem falsificou e não o pastor Valdenor, porque ele não falsificou a própria assinatura para concorrer a nada, tanto que nem candidato ele foi”, ponderou o advogado.

 

Marcelino Freitas também contestou a afirmação de Pedro DaLua de que Valdenor Guedes teria agido por vingança, por não ter sido indicado pelo partido para concorrer ao Senado: “O pastor Valdenor tem reputação ilibada, nunca foi objeto de fococa, de escândalo politico; era presidente do PSC, sempre exerceu (o cargo) de maneira isenta e nunca se contrapôs a candidatura de ninguém”. Essa afirmação de que ele quis se vingar de alguém é também leviana, nunca ocorreu isso, nunca! O magistrado foi induzido ao erro por conta da falsificação e concedeu liminar para permitir que os candidatos do PSC concorressem; ocorre que agora com esse novo desdobramento, se conseguimos reverter, todos os votos do PSC serão anulados e os dois deputados federais e o deputado estadual eleitos com os votos do partido vão perder os seus mandatos e os os suplentes vão assumir”.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *