Política

Autoridades lamentam a morte do padre Aldenor

Senadores Davi Alcolumbre, Randolfe Rodrigues, o prefeito de Macapá, Clécio Luís, e o governador do Estado, Waldez Góes, emitiram notas de pesar pela morte do sacerdote.

Compartilhe:

Elden Carlos
Editor-chefe

 

A morte de Aldenor Benjamim dos Santos, de 53 anos, padre, jornalista e professor universitário, provocou comoção, também, entre autoridades do Amapá. Padre Aldenor estava internado no Hospital Central de Macapá há cerca de uma semana, após ter sofrido um acidente doméstico. Na noite de sexta-feira (16) ele agravou e acabou morrendo no hospital.

Em nota o prefeito de Macapá, Clécio Luís (Sem partido), disse ter perdido um grande amigo e fez referência ao trabalho de agregação e evangelização do sacerdote católico.

“A verdade é que o padre era tão grandioso, tão necessário, principalmente em tempos tão difíceis de intolerância, Aldenor praticava o ato mais revolucionário de todos: ele amava as pessoas. O Sempre bem humorado, muito sábio e tolerante. O professor tinha a ternura e a doçura em abundância. O padre sabia muito sobre o verdadeiro amor de Deus e praticava, repassava e multiplicava. Padre Aldenor deixa uma trajetória bonita, cheia de lições de fé, humanidade e esperança para que todos possam correr atrás de seus sonhos e nunca desistam”, diz o prefeito em um dos trechos da nota.

O presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), expressou sentimento de pesar à família, lembrando o legado deixado por ele. “Muito querido por todos, deixa um legado de amor e dedicação ao próximo junto a seus paroquianos, amigos, alunos. Que seu testemunho de fé esteja para sempre no coração e na lembrança de todos trazendo conforto para a família e para aqueles que tiveram a oportunidade de conviver com ele durante sua missão em vida”, declara o presidente do Senado.

Lembrando um trecho da música “Canção da América’, de Milton Nascimento, o senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP), nas redes sociais, disse: “Qualquer dia, amigo, eu volto a te encontrar; Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar..;” dizendo ainda que conheceu “Uma das pessoas mais amáveis e acolhedoras de minha existência”.

O governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), também, em nota, retratou a história de Aldenor com o crescimento do estado. “O Amapá perdeu na noite desta sexta-feira o Aldernor Benjamim dos Santos, 53 anos. Padre, professor e jornalista, dividiu a sua história com o crescimento do estado, contribuindo com a comunicação, educação e, reconhecidamente, como sacerdote católico de renome da comunidade religiosa amapaense. O governo do Amapá deseja força aos familiares e amigos neste momento de dor”, manifesta o governador amapaense.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *