Política

Combate ao feminicídio é debatido no auditório do MP-AP

Iniciativa é de parceria da Frente Parlamentar pela Prevenção da Violência Contra a Mulher e Redução do Feminicídio da Alap, MP-AP e Tjap.

Compartilhe:

Douglas Lima

Da Redação

 

A Frente Parlamentar pela Prevenção da Violência Contra a Mulher e Redução do Feminicídio da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) realiza na manhã desta segunda-feira, 12, seminário com o tema ‘Combate ao Feminicídio no Estado do Amapá’.

O evento é em parceria com o Ministério Público do Amapá (MP-AP) e o Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), tendo o auditório do próprio MP-AP como local, em alusão ao Agosto Lilás. O seminário tem por objetivo colocar sob debate a violência contra a mulher e o feminicídio pelos diferentes setores da sociedade amapaense.

Palestras são ministradas pela deputada federal Aline Gurgel e Alessandra Moro, promotora pública titular da Promotoria de Justiça e de Defesa da Mulher do MP-AP. Os participantes recebem certificado equivalente a 4 horas/aula.

A deputada Cristina Almeida, da Frente Parlamentar pela Prevenção da Violência Contra a Mulher e Redução do Feminicídio da Alap, em fala no programa LuizMeloEntrevista (Diário 90,9), registrou que o seminário, além de se referir ao Agosto Lilás, marca o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio, 12 de agosto, criado à luz de projeto de lei de sua autoria, que se tornou a Lei Estadual 2404 de 6 de julho de 2019.

Cristina explicou que escolheu 12 de agosto como o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio para lembrar que neste dia, em 2018, a jovem cabo PM Emily Miranda foi assassinada pelo ex cônjuge Cássio Mangas, crime que teve grande repercussão no estado do Amapá.

Na programação do seminário no auditório do Ministério Público do Estado do Amapá a família da cabo Emily faz palestra e dá depoimento. Ao término, a família receberá cópia da Lei 2404.

A deputada Cristina também registrou que a Frente Parlamentar pela Prevenção da Violência Contra a Mulher e Redução do Feminicídio é composta, além dela, que é a coordenadora geral, pelas deputadas Edna Auzier (vice coordenadora), Aldilene Souza, Alliny Serrão e Telma Nery com a finalidade promover eventos, estudos, debates, projetos e ações para a prevenção e o combate à violência contra a mulher e ao feminicídio.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *