Política

História e cultura do Amapá devem ser obrigatórias nos concursos públicos, defende Caetano Bentes

O parlamentar também destacou o trabalho de pesquisa de historiadores como Fernando Rodrigues, Edgar de Paula Rodrigues, Nilson Montoril, dentre outros, que se dedicam há várias décadas a divulgar a historiografia local.

Compartilhe:

No Dia Internacional do Livro e do Direito do Autor, o vereador Caetano Bentes (PSC) voltou a defender a obrigação dos editais de concursos públicos estabelecerem nas questões de suas provas, conhecimentos sobre o Estado do Amapá, sua cultura e história.

Bentes lamentou que um projeto de lei apresentado pelo deputado Paulo Lemos no parlamento estadual e que determinava a existência desses conteúdos nos editais, tenha sido integralmente vetado pelo governador. O parlamentar propôs iniciativa semelhante em nível de município pois é importante que mesmo aqueles que vêm de outros estados para concorrer a vagas nos certames locais, tenham conhecimento da história e da cultura amapaense.

Caetano Bentes lamentou que não haja uma política de publicação de obras históricas e literárias locais pois caso houvesse esses livros poderiam ser difundidos desde cedo nas escolas e ainda nos primeiros anos do Ensino Fundamental, os alunos teriam contato com os personagens que fizeram e fazem a história do Amapá. “O senador Randolfe tem conseguido romper essa deficiência ao conseguir a publicação de obras histórias como a coletânea “Confiança no Amapá”, de Janary Nunes e a História de Oiapoque, que narra a saga da família Pennafort, ambas publicadas pela Gráfica do Senado.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *