Política

Indígena amapaense pode se candidatar a senadora, em partido bolsonarista

Silvia Nobre Waiãpi acaba de ser designada conselheira nacional de promoção da igualdade racial e abre agenda de trabalhos no Amapá na próxima semana.

Compartilhe:

Cleber Barbosa

Da Redação

 

Indígena amapaense da etnia waiãpi, Silvia Nobre, não para de fazer história, em uma trajetória de vida e carreira profissional marcadas por muitos episódios de superação e determinação. Convidada a somar no atual governo federal desde a transição, no final de 2018, teve passagens pela Secretaria Nacional de Saúde Indígena e agora pode engatar carreira política, segundo forte articulação em Brasília, confirmada neste sábado (20) por ela própria em entrevista no rádio.

Falando com exclusividade à Diário FM (90,9) ela anunciou ao programa Conexão Brasília que virá ao estado na próxima quarta-feira, dia 24, em sua primeira agenda como conselheira nacional de promoção da igualdade racial, cargo de grande visibilidade, que já lhe valeu inclusive convite para se filiar ao Patriotas, partido afinado com o presidente Jair Bolsonaro.

Ela se disse muito feliz com mais esse desafio em sua carreira profissional, num momento em que está fechando seu ciclo como oficial do quadro de saúde do Exército Brasileiro, outra faceta igualmente histórica em sua vida. Ela tem a patente de primeiro-tenente, tendo ingressado como fisioterapeuta no Hospital Central do Exército, no Rio de Janeiro.

Devido ao enfrentamento à pandemia, a posse no cargo de conselheira da igualdade racial se dará de forma remota e curiosamente ela estará em solo amapaense. Na quarta-feira, ela visita a comunidade remanescente de quilombo, na APA do Curiaú, em Macapá. “Um povo que não preserva a sua identidade e não guarda a memória de seus mortos não sabe de onde veio e nem sabe para onde vai”, disse Silvia.

O Conselho de Promoção da Igualdade Racial está vinculado ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, que tem à frente a ministra Damares Alves. Sua principal missão é propor políticas de promoção da igualdade racial, com ênfase na população negra e em outros segmentos raciais e étnicos da população brasileira. Além do combate ao racismo, o CNPIR tem por missão propor alternativas para a superação das desigualdades raciais, do ponto de vista econômico, social, político e cultural.


Candidatura

Silvia admitiu ter recebido convite para se filiar ao Patriotas, legenda muito próxima do presidente da República – que em 2019 ensaiou a criação de uma agremiação própria, Aliança pelo Brasil, mas que ainda não conseguiu registro definitivo. E os planos para a mais nova afiliada são arrojados, já que o Patriotas quer vê-la disputando a única cadeira ao Senado Federal que estará por ser renovada em 2022. “Existe 80% de chance de eu aceitar esse desafio, o que vai depender, claro da vontade do povo amapaense, que eu vou estar muito mais próxima a partir de agora, com essa nova função dentro do governo federal”, concluiu Silvia Nobre.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *