Política

‘Investir em saneamento básico é decisivo’, diz Waldez em evento sobre saneamento no BNDES

Governador falou sobre metas de ampliação dos serviços de água e de esgoto no estado durante apresentação do ‘BNDES com S de Social e Saneamento’.

Compartilhe:
O governador do Amapá, Waldez Góes, participou, nesta sexta-feira, 6, da apresentação do programa “BNDES com S de Social e Saneamento”, no Rio de Janeiro, ocasião em que defendeu o Projeto de Saneamento do Amapá.

Com o programa, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) busca gerar debates e discussões sobre a universalização dos serviços de água tratada e de esgoto no Brasil. Governadores e prefeitos participam do encontro.

Em seu discurso, Waldez manifestou seu apoio ao programa do BNDES, e disse ser favorável à proposta de novo formato do Marco Regulatório do Saneamento Básico. Ele defendeu as parcerias público-privadas como alternativa para ampliar o acesso dos brasileiros à água tratada e esgoto, uma vez que esses serviços são fundamentais porque trazem reflexos para outros setores, como a saúde.

“O Brasil tem sofrido muito pelo fato de não ter uma cobertura adequada de água e esgoto. Nos estados da Amazônia, essa falta de cobertura é ainda mais intensa, portanto, investir em uma política dessas, principalmente, mobilizando novos modelos para captar recursos, é decisivo”, ressaltou.

Amapá, Acre e Alagoas são os estados com os projetos mais adiantados nos estudos do BNDES, o que deve servir de parâmetro para todo o restante do Brasil.

Durante o painel sobre desafios, soluções e investimentos em saneamento básico no Brasil, Waldez disse que no Amapá o projeto de universalizar o saneamento básico conta com o assessoramento do BNDES. O objetivo, segundo o chefe de Estado, é de que o serviço seja realizado por uma concessionária durante 35 anos, ampliando os atendimentos urbanos de água e rede de esgoto. Em nove anos, por exemplo, os dois setores devem ter cobertura de 98% e 60%, respectivamente.

Waldez lembrou que os 16 municípios do Amapá estão de acordo com esse projeto e todos os procedimentos executivos e legislativos estão sendo adotados. A expectativa é concluí-lo até o fim de 2020.

“Estou empenhando toda a minha experiência neste processo, e estou convencido de que este modelo que estamos construindo irá atender nossa população e poderá ser reaplicado em outros estados do Brasil. Só assim podemos sair dessa situação”, ressaltou.

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, reforçou que investimentos em saneamento são prioridade para o país. “Como podemos pensar em saúde, educação e desenvolvimento econômico para quem não tem saneamento?”, questionou. Ele acrescentou que o banco tem vontade e capacidade de ajudar na ampliação deste serviço.

Também participaram do evento, os prefeitos amapaenses Raimundo Barbosa (Cutias), José Serafim (Itaubal), Maria Orlanda (Oiapoque), José Maria Bessa (Porto Grande), Dielson (Vitória do Jari), Carlos Sousa (Amapá), Rildo Oliveira (Tartarugalzinho), Belize Ramos (Pracuúba), Beth Pelaes (Pedra Branca) e Ofirney Sadala (Santana).

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *