Política

No Vaticano, Waldez Góes defende monitoramento integrado da Amazônia Legal

Proposta foi discutida durante reunião do Fórum Global dos Governadores para Clima e Floresta (GCF) no Vaticano.

Compartilhe:

A criação de uma central de monitoramento integrado para o combate ao desmatamento e às queimadas na Amazônia foi defendida pelo governador do Amapá, Waldez Góes, durante reunião do Fórum Global dos Governadores para Clima e Floresta (GCF), nesta terça-feira, 29, na Cidade-Estado do Vaticano, na Itália.

No encontro, membros do comitê-diretivo do GCF, especialistas e líderes tiveram a oportunidade de debater estratégias para combater o desmatamento na região amazônica.

“A gente tem falado muito sobre dar prioridade ao monitoramento, controle e fiscalização. Inclusive, a proposta é criar uma central integrada com a presença do poder público e as organizações sociais para que a gente possa controlar o desmatamento, e, caso aconteça, que a gente possa chegar até os responsáveis”, defendeu Waldez Góes, que participa do evento como presidente do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal.

O projeto defendido pelo representante amapaense endossa a proposta dos governadores dos estados da Amazônia Legal de focar no financiamento para o monitoramento, controle e fiscalização do desmatamento na região, sem afetar o modelo de vida das populações tradicionais e indígenas.

GCF

O GCF é uma força tarefa subnacional estabelecida com base em um memorando de entendimentos, assinado em 2008, que promove a cooperação em inúmeros assuntos relacionados à política climática, financiamento, troca de tecnologia e pesquisa.

O fórum é formado por 38 estados e províncias do Brasil, Colômbia, Costa do Marfim, Equador, Espanha, Estados Unidos, Indonésia, México, Nigéria e Peru, que trabalham para construir programas jurisdicionais que integrem políticas de REDD+ a outras ações que reduzam as emissões de gases causadores do efeito estufa.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *