Política

Novo prefeito de Calçoene afasta servidores envolvidos na investigação que prendeu Jones Cavalcante

Júlio Sete Ilhas diz que quer construir governança onde o bem comum esteja acima de interesses particulares.

Compartilhe:

Paulo Silva
Editoria de Política

O vereador Júlio Sete Ilhas (MDB), que desde 11 de março assumiu a prefeitura de Calçoene em razão da prisão e do afastamento do prefeito Jones Cavalcante (PPS) do cargo, afastou das funções os servidores relacionados com as ações investigadas da Operação Sangria, deflagrada pelo Ministério Público do Amapá (MP-AP). Presidente da Câmara de Vereadores de Calçoene, Júlio Sete Ilhas assumiu a prefeitura em razão da renúncia da vice-prefeita Ângela Avelar Deniur.

Ele disse ao Diário do Amapá que vem trabalhando com o objetivo de construir uma governança onde o bem comum esteja acima de interesses particulares. Para tanto, segue alinhado com a Câmara de Vereadores, Ministério Público, Tribunal de Contas e demais órgãos fiscalizatórios e autoridades constituídas do Estado do Amapá na busca de estabilizar a situação na qual se encontra o município.

No curto período de 64 dias, a atual gestão realizou o pagamento dos salários atrasados e normalizou a folha de pagamento. Suspendeu os pagamentos dos contratos com fornecedores que possuíam vícios no processo e garantiu a realização correta das compras emergenciais, sobretudo merenda escolar e medicamentos, através de recomendação do Ministério Público.

Atualmente, uma equipe técnica eficiente atua frente à recuperação de convênios federais e o cadastramento de 11 novas propostas voluntárias junto à diversos ministérios nas áreas de Educação, Turismo, Saúde, Meio Ambiente e Infraestrutura e também a organização da nova estrutura administrativa e tributária da prefeitura.

“Sabemos que há muito a fazer. Por isso, a prefeitura de Calçoene articula junto ao governo do Estado o apoio para o desenvolvimento de diversas ações prioritárias, entre elas as ações de pavimentação, limpeza e iluminação pública, atualmente em fase de implantação. Dessa forma, todas nossas ações administrativas têm sido realizadas de maneira responsável, em consonância com as recomendações dos órgãos fiscalizadores competentes”, comentou Júlio.

Sobre a decisão do desembargador Manoel Brito, de acompanhar a decisão da câmara e manter o prefeito Jones Cavalcante fora do mandato – ele foi solto mas vai usar tornozeleira eletrônica, Júlio Sete Ilhas disse que todo e qualquer indivíduo deve ser submetido ao direito e às leis de forma imparcial e sem privilégios e sendo esta a decisão da justiça.

“Manteremos nosso trabalho até dezembro de 2020, e com o apoio de toda a população vamos virar uma página triste de nossa história abrindo um novo período de transformação, prosperidade e democracia”, concluiu o prefeito.

SAÚDE EM DISCUSSÃO

Nesta quarta-feira (15), na sede da Câmara Municipal de Calçoene, será realizada a 5ª Conferência Municipal de Saúde, com abertura marcada para às 8 horas. Estarão em discussão temas como: saúde com direito, consolidação e financiamento do SUS e saúde bucal. Ao final será feita a eleição dos delegados que participarão da etapa estadual da conferência.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *