Política

Pré-candidato à prefeitura de Santana, Bala Rocha diz que falta visão empreendedora para destravar o município

Ex-senador diz que parceria público-privada é vital para destravar o município. Ele afirma, também, que é necessária uma gestão comprometida para evitar situações conflitantes como a recente ‘crise do lixo’.

Compartilhe:

Elden Carlos e Rodrigo Silva – Editoria Política

 

Pré-candidato à prefeitura do município de Santana, que compõe a Região Metropolitana de Macapá, Sebastião Bala Rocha (PSDB), afirmou na manhã deste sábado (18) durante entrevista ao programa Togas&Becas (Diário 90,9 FM), apresentado pelo advogado criminalista e radialista Helder Carneiro, que o destravamento e crescimento do segundo maior município do Estado só pode ocorrer por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP), focando que além da característica portuária, Santana desponta como grande área para criação de um pólo industrial.

O ex-senador da República, declara que isso depende de uma visão empreendedora da gestão municipal. “Falta visão empreendedora de quem administra o município e não estou culpando prefeitos anteriores. Vou entrar em uma campanha e não vou agredir ninguém. O povo escolheu democraticamente os gestores que já comandaram o município, e não quero me colocar aqui na condição de melhor que ninguém, eu tenho um legado. Tenho uma história de sucesso e trabalho por Santana, pelo Amapá e pelo Brasil”, atesta.

Ele lembrou que esse potencial econômico depende, ainda, de uma política atrativa que apresente garantias aos investidores. “Então, precisamos pegar a Docas de Santana, por exemplo, e transformar numa PPP. Seria a prefeitura atuando em uma frente, o Estado em outra e o investidor na terceira linha. Não podemos ser apenas um entreposto para os grãos. Precisamos industrializar aqui, os grãos que serão refinados para exportação. Esse produto final, beneficiado em Santana, vai ganhar os mercados brasileiro e internacional”.

Bala Rocha também demonstrou preocupação com o sucateamento do porto de minérios e a Estrada de Ferro do Amapá (EFA). “O porto de minérios é outra questão. O porto caiu, a estrada de ferro está ai, destruída. O prefeito precisa tomar frente, buscar parcerias e encontrar as soluções. Eu sei que já tem grupos aí trabalhando e se comprometendo em abraçar esses projetos de reconstrução, mas não se pode ficar inerte”.

Bala Rocha também elogiou a determinação do presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), em somar nessa ‘frente por Santana’, ao destinar recursos para o projeto Orla. “Esse projeto é fundamental, e o senador Davi já chamou para si a responsabilidade e garantiu recursos na ordem de R$ 60 ou 70 milhões no orçamento da União. O governo federal deverá fazer a execução direta”.

 

Ele lembrou ainda que projetos de integração levaram à criação da Região Metropolitana, e que isso é determinante para o fortalecimento econômico do município santanense. “Tenho participação importante nessa questão da Região Metropolitana, porque fui um incentivador e parceiro para a construção das duas pontes [Vila Nova e Matapi], colocando emendas todos os anos para forçar o governo a fazer projetos , porque nem projeto tinha, perdi várias emendas porque não tinha essa disposição”.

Ao citar os principais problemas vividos hoje pelos munícipes, além da buraqueira das ruas e avenidas e a falta de saneamento, ele destaca a questão da coleta de lixo na cidade. “Hoje, existe um acordo entre as prefeituras de Santana e Macapá. O lixo coletado em Santana vai para o aterro sanitário da capital. A informação que se tem é a de que como a prefeitura de Santana atrasa o pagamento das taxas, que tem que pagar em relação ao uso do aterro, a empresa coletora não pode levar para o aterro sanitário. Com isso, o serviço é interrompido. Essa questão fica bem clara e exemplificada na recente ‘crise do lixo’, como ficou conhecida. Isso não pode acontecer em Santana”.

Bala Rocha assegurou sua pré-candidatura, pediu para população ficar alerta com as fake news, dizendo que determinado candidato está desistindo de sua candidatura, e espera ter o mesmo sucesso que obteve em suas passagens na Assembléia Legislativa, Câmara dos Deputados e Senado Federal.

Bala também comentou sobre a criação da ‘Frente por Santana’, que integra políticos de ideologias diferentes como Antônio Nogueira e Rarison Santiago, mas que busca consensos em favor do município, no sentido de se ter um diagnóstico e planejamento definidos. “Mesmo que a frente mais adiante não sobreviva, muita coisa boa, daquilo que estamos construindo, vai ficar”, comentou Bala Rocha ao lembrar da questão das bandeiras partidárias distintas.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Um comentário em “Pré-candidato à prefeitura de Santana, Bala Rocha diz que falta visão empreendedora para destravar o município”

  • ELENILDA DO SOCORRO QUEIROZ PINTO disse:

    Eu concordo com o pre candidato. E como santanense que sou, e o conheço desde minha adolescência, gostaria de manifestar meu apoio a ele, acreditando que por ele se uma pessoa que conhece nosso lugar e viveu toda sua história de vida aí em Santana, espero o melhor da parte dele. Bala, faz algo por todos que amam esse município tão pequenino e tão lindo, Santana precisa de um prefeito que realmente tenha na veia, o devido cuidado e amor pra bem administra -lá. Por gentileza ajude Santana. Ela está precisando muito. Um abraço de ELENILDA Pinto que foi sua amiga na juventude. Tenho boas lembranças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *