Última hora Polícia Política Cidades Esporte

Heraldo Almeida

Comissão Nacional da Música

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, sugeriu ontem 4/3, a criação de uma Comissão Nacional da Música para atender e articular demandas do setor. O grupo vai articular propostas e encaminhá-las para a Comissão Nacional das Artes, que formulará a Política Nacional das Artes, sob a coordenação da Funarte.

Cada linguagem artística (teatro, artes plásticas, música) terá um grupo específico que levará contribuições para a Comissão Nacional das Artes. A iniciativa anunciada para música pretende dar início aos trabalhos de curto prazo para rearticular o setor. “Ela irá integrar seminários e promover encontros para as discussões avançarem e chegarmos a um redesenho institucional”, disse o presidente da Funarte, Francisco Bosco.

Juca Ferreira enfatizou ainda a necessidade de reativar o mercado, investir na formação de artistas e de dar importância à atuação do Estado neste setor. “O Estado é um indutor do mercado. As rádios públicas e o Estado podem estimular uma melhor variedade”, disse. “Temos que discutir um marco legal, um conjunto de normas a regulamentar e fomentar um novo ciclo, entre eles, direitos autorais.”

Outro ponto abordado foi a complexidade da música brasileira. “A queda da indústria gerou economias locais que impulsionaram criações regionais”, afirmou o ministro. “O ministério (da Cultura) está pensando em um mapeamento completo desta complexidade para que a política pública dê conta dela.”

Entre os participantes estiveram Pena Schmidt, diretor do Centro Cultural São Paulo; Cacá Machado, músico e professor do departamento de música da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); Benjamim Taubkin, músico e produtor da Casa do Núcleo; Pablo Capilé, membro da rede de coletivos culturais Fora do Eixo; e Heloisa Aidar, produtora da Pommelo. (www.cultura.gov.br).

Coquetel de apresentação das candidatas ao 33º Rainha das Rain

Diretoria do Trem Desportivo Clube realiza, neste sexta, 30, o coquetel de apresentação das candidatas ao 33º concurso Rainha das Rainhas do carnaval amapaense, às 8 da noite, em sua sede. O tradicional concurso está agendado para o dia 7 de fevereiro, às 10 da noite.

Iniciaram os ensaios do Banzeiro do Brilho-de-Fogo

A ideia é levar para outros lugares (praças e bairros), o Marabaixo, que é a maior identidade cultural do povo amapaense. Essa preparação é para o segundo “Cortejão”, pelas ruas e avenidas, que vai acontecer no dia do aniversário de 257 anos da cidade de Macapá, 4 de fevereiro.O projeto é para todas as idades e não precisa saber tocar as caixas de Marabaixo, basta querer aprender. É pra toda família. O primeiro Cortejo aconteceu no dia 14 de dezembro de 2015, e cerca de mil pessoas participaram.

Oneide Bastos tem CD indicado ao 26º Prêmio da Música Brasilei

Esse prêmio é o mais grandioso e importante projeto que escolhe os melhores destaques da música do país a cada ano. Em 2014, Patrícia Bastos, filha de Oneide, foi eleita no mesmo projeto, a melhor cantora regional do Brasil com o melhor CD, “Zulusa”, e agora sua mãe é inicada na mesma categoria, bom sinal. Oneide Bastos é a matriarca de uma familia de artistas que atuam em diversos segmentos da cultura popular como: carnaval, quadra junina, música, dança e outros. Ela é conhecida como a rainha da música da Amazônia, por defender essa temática regional há mais de seis décadas e ter sua voz como referência para a nova geração. 

“Quando Bate o Tambor” é o segundo CD da cantora, tendo “Mururé” como o primeiro.

O que é o Miriti?

Tanto a fibra quanto o fruto podem ser utilizados de várias formas. Com a leve fibra desta palmeira são fabricados os brinquedos de miriti, tradicionais e comercializados especialmente no período de outubro durante o Círio de Nazaré. Também é possível criar objetos de decoração e bijuterias utilizando a fibra desta palmeira. A cidade de Abaetetuba é conhecida como a “Capital do Miriti”, lá estão a grande maioria dos artesãos responsáveis pela confecção dos brinquedos e objetos em miriti.Com o fruto do buriti são feitos doces, compotas, bombons e licores.

Heraldo entrevista Secretário de Cultura do AP

Heraldo entrevista Secretário de Cultura do AP

{mp4remote}/images/videos/2015/jan/entrevista_secretaria_cultura_ap.mp4{/mp4remote}

Heraldo Almeida