Última hora Polícia Política Cidades Esporte
Nossa Opinião

Morre Ulisses Laurindo: um homem exemplar

De fato, amamos Ulisses Laurindo com o amor philos, tamanha foi a amizade e a empatia que nos uniu.


Professor Ulisses Laurindo foi a pessoa mais sensível, sensata, honesta e boa que já conhecemos, durante essa convivência na rádio e no jornal Diário do Amapá.

 

Costumamos dizer que ele é o mais precioso presente que, apesar de não ser amapaense, o Amapá nos deu, até agora, ocasião em que o perdemos no plano terrestre com a certeza de que Deus o abriga nos Céus com o seu amor inefável.

 

Não foram poucas as vezes na Rádio Diário FM, no ar, que declaramos amor sem fim por Ulisses Laurindo. Estranho declarar amor por um homem. Mas Ulisses era um homem verdadeiramente, imensuravelmente, incomparavelmente apaixonante.

 

De fato, amamos Ulisses Laurindo com o amor philos, tamanha foi a amizade e a empatia que nos uniu.

 

Ulisses era uma pessoa de alto padrão de decência, respeito e responsabilidade.

 

De coração aberto para todos, costumava abordar os jovenzinhos e jovenzinhas que chegavam na Redação do Diário do Amapá para lhes dar boas vindas recheadas de preciosos conselhos sobre a função do jornalista e a finalidade da vida que, para ele, tinha que ter a cara da humildade.

 

Entre os vários amores do Professor Ulisses, estava a leitura. Ele lia muito e dava oportunidade de outros lerem também.

 

Gostava em doar bons livros, principalmente a jovens, os quais achava bonitos além da conta quando com um livro diante dos olhos.

 

Foi através do Ulisses Laurindo que conhecemos o intelectual espanhol Miguel de Unamuno com quem aprendemos que se pode falar de filosofia com frases simples sem rebuscamentos acadêmicos.

 

Ulisses Laurindo era um gentleman apaixonado pelas artes, principalmente a pintura e a música clássica.

 

Em família, um privilegiado: contava com o amor quase incondicional da incomparável esposa Jocineia – nunca o casal brigou ou fez cara feia para os filhos médicos Renan e Maraci.

 

Era um avô amante e amado pelos netos. O afeto que o genro Ricardo tinha pelo sogro era algo muito melhor que bom!

 

Nosso querido amigo, que está no Céu, manteve a vida aqui na Terra como atleta, professor de educação física e jornalista. Ele tinha formação em direito, mas nunca a exerceu. Resumindo a trajetória de Ulisses Laurindo, ele foi um vencedor: campeão e recordista olímpico, jornalista de várias olimpíadas. Quis o Pai Celestial que ele morresse aqui entre nós. E o Amapá tem que lhe agradecer por tamanha honra!

 

Homenagem póstuma
Jornal/Rádio Diário FM


Comente