Política

Narson Galeno diz que contrato para realização do concurso da PGE será assinado em 10 dias

Segundo o Procurador-Geral do Estado serão ofertadas cinco vagas para contratação imediata e 10 para o cadastro reserva.

Compartilhe:

Cobrado no ar por ouvintes do programa Togas&Becas (DiárioFM 90,9) na manhã deste sábado sobre a realização do concurso público para a Procuradoria-Geral do Estado (PGE), o procurador-geral Narson Galeno foi ao programa e disse que a comissão instituída para formatar o concurso está trabalhando e que no daqui a 10 dias o contrato com a Fundação Carlos Chagas será assinado. Segundo ele, no totalmente serão ofertadas cinco vagas para contratação imediato e 10 para o cadastro reserva.


“Vamos ser sinceros, os amapaenses estão com sorte porque amanhã será a prova teórica do concurso da Defenap (Defensoria Pública) e ao mesmo tempo está havendo concursos públicos em vários estados,com em Palmas e Manaus, também para a Defensoria e para procurador em Pernambuco, e o elevado custo da passagem aérea, algo em torno de 3 mil reais, afastou muita gente de outros estados para o concurso da Defenap, fazendo aumentar as chances dos amapaenses. Com relação ao concurso da PGE nós fizemos todo o possível para que fosse realizado junto com o da Defenap, mas não foi possível e decidimos priorizar o da Defensoria por ser o seu primeiro concurso”, explicou.

 


Narson Galeno falou sobre os avanços da PGE em sua gestão: “Nós já tivemos muitos avanços, conquistas significativas. A advocacia pública é complicada, difícil, mas temos crescido muito, existe confiança do governador e dos secretários de estado. Hoje a Central de Licitação está funcionando, não a todo vapor porque falta ainda incluir algumas secretarias, mas este mês ainda vamos incluir a Sesa (Saúde) e a Seed (Educação) e em maio a Seinf (Infraestrutura) e a Setrap (Transportes). A Central de Licitação está dando tão certo não apenas em celeridade, como também de economia, por isso o nosso modelo já está sendo adotado por vários estados brasileiros”.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *