Coluna Esplanada

Gestão Cármen

 

Antes de assumir oficialmente o comando do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a ministra Cármen Lúcia pavimenta as regras que vão sustentar sua gestão pelos próximos dois anos. A prioridade da ministra para este ano é o enfrentamento da desinformação e do uso indevido de inteligência artificial (IA) nas Eleições Municipais de 2024. Ela relatou 12 resoluções, chanceladas pela Corte Eleitoral, que norteiam e disciplinam as regras que serão adotadas no pleito de outubro. A ministra reforça uma frase que tem repetido em conversas, entrevistas e palestras sobre a Inteligência Artificial. “Que essa tecnologia não seja usada para desservir à Democracia, aos eleitores e às garantias das liberdades”. Cármen Lúcia vai substituir o ministro Alexandre de Moraes a partir de junho, para o biênio 2024-2026.

 

Juiz de paz

O líder do governo no Senado, senador Jaques Wagner (PT-BA), recebeu a missão do Planalto para reaproximar o ministro Fernando Haddad e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), após o atrito provocado por declarações do chefe da Fazenda. A estratégia deu certo: ambos admitem o fim das tensões e o diálogo foi retomado.

 

No ostracismo

Demitido da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) por faltar ao serviço sem justificativas, abandonado pelo clã e séquito Bolsonaro e sem apoio do próprio partido – o PMB (Partido da Mulher Brasileira) – o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub amarga ostracismo político. Cogitou se candidatar à Prefeitura de São Paulo, mas a legenda não embarcou no projeto aventureiro.

 

Força restrita

A Força Aérea Brasileira (FAB) não revela os valores dos custos das viagens dos voos que transportam autoridades. À Coluna, posiciona: “Os custos operacionais das missões em aeronaves são considerados estratégicos por envolverem aviões militares. Portanto, são informações restritas em prol da segurança das operações aeroespaciais e da defesa do país”.

 

Massa falida

A desocupação da sede do Incra de Alagoas pelo MST só ocorreu após o novo superintendente, Junior Rodrigues do Nascimento – indicado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira – garantir que vai atender às demandas do movimento. Uma delas é a destinação das terras da massa falida da Usina Laginha para a reforma agrária.

 

Ação fantasma

Em depoimento no Senado, Thales de Queiroz Sampaio afirmou à CPI da Braskem que a empresa processou o Serviço Geológico do Brasil (SGB), do qual ele é ex-diretor. Ocorre que a ação, que provocou alvoroço entre os membros da comissão, simplesmente não existe. A tal peça fictícia que, segundo alega, cobrou R$ 1 bilhão por danos morais à instituição jamais apareceu. Não há sequer registro de processo da Braskem contra o SGB.

 

**************************************************************************************

 

 

PL agora ignora inspeção das urnas

 

Condenado em 2022 ao pagamento de multa de R$ 22.991.544,60 por litigância de má-fé, após questionar a segurança das urnas, o Partido Liberal (PL), do ex-presidente Jair Bolsonaro, decidiu adotar postura distinta para o pleito municipal deste ano. O partido ainda não se manifestou se vai fazer a inspeção do código-fonte dos aparelhos e dos sistemas eleitorais que serão utilizados nas Eleições Municipais de 2024. Há sete meses, o ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disponibilizou o código-fonte como parte do Ciclo de Transparência. Além de abrir o código-fonte, o Tribunal também realizará esse mês o Teste de Confirmação, no qual são verificados os aprimoramentos feitos pela equipe do TSE para barrar investidas.

 

Corda bamba

Não foi só o ato esvaziado de 1º de Maio que levou o ministro Márcio Macêdo, da Secretaria-Geral da Presidência, à corda bamba. Há queixas da falta de integração do ministro com os titulares das Assessorias de Participação Social e Diversidade instituídas nos gabinetes de todos os ministérios pelo presidente Lula da Silva. A bancada do PT na Câmara tem pelos menos dois nomes para substituí-lo.

 

Jogada

A base do Governo no Senado arquiteta uma jogada para evitar a derrubada do veto às emendas de comissão aos congressistas no valor de R$ 5,6 bilhões. A articulação é para aprovar hoje o projeto de lei complementar (PLP 233/2023) e aumentar em R$ 15,7 bilhões o limite para despesas da União. Se aprovado, o Governo vai propor R$ 3,6 bilhões para compensar o corte de emendas.

 

Cadê?

Cadê a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), moradora do bairro nobre Tristeza, em Porto Alegre. E o dinheiro do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), conhecido como “banco dos Brics”, que ela preside, para ajudar o Rio Grande do Sul?

 

Escondido$

O Partido Liberal (PL) esconde os gastos das viagens e hospedagens do ex-presidente Jair Bolsonaro bancadas pelo partido. Questionada há duas semanas, a assessoria não se posicionou até o fechamento desta edição.

 

Campanha

O Senado lançou campanha para arrecadar 5 mil cobertores para o RS. À frente da iniciativa, o senador Paulo Paim (PT-RS) diz que é preciso muita união e que “as divisas ideológicas sejam esquecidas para o bem-estar da população”. Até o momento, já foram arrecadados cerca de 3 mil cobertores.

 

ESPLANADEIRA

# Mycon :consórcio de imóvel representa 36% do volume de vendas da empresa.

# FenaCap: Capitalização arrecadou R$ 4,8 bilhões, alta de 6,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

# Clube de Leitura CCBB 2024 homenageia obra de Lima Barreto.

# Motz fecha 2023 com mais de R$ 1,172 bilhões de receita líquida.

# IDS oferece seminários, entre 6 e 10 de maio, para cidades se adaptarem às mudanças climáticas.

# Conab e MDS preparam doação de 52 mil cestas de alimentos a famílias gaúchas atingidas pelas enchentes.

 

**************************************************************************

 

 

Brasil oferece ajuda a Palestina

 

O conflito israelo-palestino, iniciado em outubro de 2023, já dura cinco meses e conta com mais de 32,5 mil mortos, segundo dados do Ministério de Saúde de Gaza. Durante todo esse período, conforme dados do Itamaraty solicitados pela Coluna, o Governo brasileiro doou às populações atingidas, por meio da Agência Brasileira de Cooperação, 190 purificadores de água portátil; kits de medicamentos e insumos para emergências em saúde; 30 mil kg de refeições desidratadas nutricionais; e 2.505 kg de alimentos. Além disso, o Brasil mantém doações à Agência das Nações Unidas para os Refugiados da Palestina que devem chegar a mais de R$ 2 milhões neste ano. Criada em 1949, a agência da ONU desenvolve ações sociais, como educação, saúde e moradia, destinadas a palestinos na Faixa de Gaza, Cisjordânia, Jordânia, Síria e no Líbano.

 

Regalias do detento

Preso há mais de um mês, o deputado Chiquinho Brazão (sem partido-RJ) segue com regalias de parlamentar. Mantém com altos salários 28 pessoas – entre secretários parlamentares e assessores em cargos de natureza especial – em seu gabinete. Além disso, continua de posse do apartamento funcional em região nobre de Brasília. O processo de cassação contra ele se arrasta no Conselho de Ética.

 

Empatados

Sondagem divulgada ontem pela Paraná Pesquisas mostra o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), e o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL) tecnicamente empatados, na estimulada e espontânea, para a Prefeitura. No cenário estimulado, Nunes tem 27,3% e Boulos surge com 25,7%. O apresentador de TV Luiz Datena (PSDB) aparece em 3º lugar com 15,3%.

 

Curiosidade

Uma pesquisa divulgada pela PreFab Future sobre intenção de votos para prefeito do Rio de Janeiro aponta uma curiosidade: 17,2 % dos entrevistados não sabem avaliar a atual gestão do prefeito Eduardo Paes (PSD). Em todas as pesquisas já divulgadas até agora, de diferentes institutos, o prefeito, que disputará a reeleição, lidera as intenções.

 

Cerco aos VIPs

Um ofício com a assinatura de 500 pessoas foi protocolado na Prefeitura do Rio de Janeiro requisitando a lista dos mil convidados VIPs escolhidos pela gestão de Eduardo Paes (PSD) para o show de Madonna no próximo sábado. Os VIPs ficarão numa seção reservada – e cercada com tapumes de 2m – em frente ao palco da cantora. O abaixo-assinado foi organizado por um morador de Campo Grande, o empresário Kau Magno.

 

Indenização

O setor segurador pagou cerca de R$ 39,1 bilhões em indenizações nos dois primeiros meses de 2024. Segundo levantamento da Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg), o total representa uma alta de 1,5% se comparado com o mesmo período de 2023. A performance positiva também foi vista na arrecadação, que somou R$ 68,3 bilhões com crescimento de 17,3%.

 

**************************************************************************************

 

 

Negócios bélicos

 

Os últimos desentendimentos diplomáticos entre Brasil e Israel não interferiram nas relações de negócios bilaterais. Atualmente, a Força Aérea Brasileira possui três contratos com o país do Oriente Médio. E a Marinha informa que existem dois contratos com a empresa israelense ARES em andamento –para adequações de alças optrônicas para os Navios-Patrulha “Maracanã” e Oceânico Classe Amazonas. Os contratos citados estão sob a responsabilidade da Diretoria de Sistemas de Armas da Marinha. Conforme registrado pela Coluna, o Exército também dispõe de três contratos: das torres REMAX (R$ 380 milhões); das câmeras do SISFRON (R$ 32 milhões); e da torre de tiro UT30 (R$ 80 milhões), todos de fornecedores de Israel. Os contratos das três Forças são anteriores a outubro de 2023.

 

Lira irado

Depois de declarar guerra ao ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), abre fogo contra o ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira. Lira não engoliu a demissão do primo do Incra de Alagoas. E está irado com a invasão da sede do órgão após a nomeação de seu outro apadrinhado, Junior Rodrigues do Nascimento.

 

Onipresente

O presidente Lula da Silva, ministros palacianos e líderes do Congresso têm recorrido a um ex-presidente da Câmara dos Deputados para pedir conselhos sobre a atribulada relação com a atual gestão da Casa. Condenado no Mensalão (AP 470 do STF), o ex-deputado João Paulo Cunha (PT) atua quase como ministro informal. Evita exposição e holofotes, mas está sempre à disposição – ao telefone – para atender e orientar a turma petista.

 

Reveses

O ex-senador, ex-ministro e ex-líder de Governos no Congresso Nacional Romero Jucá (MDB-RR) segue sofrendo reveses na política. A última foi na sua base eleitoral – Alto Alegre (RR) – onde seu candidato Valdenir Magrão (MDB) foi derrotado pelo adversário Wagner Nunes (Republicanos) nas eleições suplementares de domingo, 28.

 

Agonia de Moro

O senador Sergio Moro (União-Paraná) tem até amanhã para se posicionar no Tribunal Superior Eleitoral sobre os recursos movidos pelo PT e PL pela cassação de seu mandato. Depois dessa etapa, o processo seguirá para o relator, que ainda não foi definido. Um dos cotados é o ministro Floriano Azevedo. O TRE do Paraná rejeitou por cinco votos a dois os pedidos de cassação do senador.

 

Educação paralisada

 

Retomar obras de educação paradas, sobretudo creches, é uma promessa do presidente Lula da Silva desde o início do Governo. Mas a realidade é outra. Atualmente, o MEC possui mais de 3 mil obras de educação básica paralisadas.O Ministério possui um programa lançado em novembro do ano passado, em colaboração com o FNDE, para recomeçar as atividades, com investimento de R$ 3,8 bilhões. À Coluna, a pasta posiciona que a paralisação deve-se a uma série de fatores, inclusive irregularidades na gestão anterior. O órgão assegura que possui os recursos financeiros e o planejamento necessário para a conclusão das obras. A expectativa é concluir as reformas e ampliações com um prazo de 24 meses, podendo ser prorrogado por mais 24 meses.

 

Lula Bros x Chega aí

De olho no voto dos jovens, os dois maiores partidos do País – PT e PL – lançaram campanhas para atrair esse nicho do eleitorado. O PT lançou o Lula Bros, inspirado no personagem de jogo eletrônico Mario Bros. Já o partido do ex-presidente Jair Bolsonaro investe na campanha “Chega aí” e tem como um dos influenciadores o deputado Nikolas Ferreira (MG).

 

Dias no Piauí

Um dos alvos do puxão de orelha do presidente Lula da Silva, o ministro Wellington Dias (PT-PI) tem dado mais atenção ao Estado em ano eleitoral que ao Congresso. Ou levando verba e programas da pasta ou ciceroneando colegas do Governo. Como fez na última semana ao acompanhar a visita do ministro do Transportes, Renan Filho, às obras de rebaixamento da Avenida João XXIII, em Teresina.

 

Legado da Copa?

Não são apenas obras do legado da Copa do Mundo no Brasil que ainda não foram concluídas. À época, ficou acertado com a Fifa o investimento milionário nos chamados centros de desenvolvimento do futebol. Nenhum foi entregue até agora. O Ramal da Copa, em Pernambuco, que já consumiu mais R$ 200 milhões dos cofres públicos, também segue com obras congestionadas, sem previsão de conclusão.

 

BolsoDrones

A BR Dron, uma das maiores fabricantes de drones agrícolas do mundo, vai lançar duas versões inéditas durante a Agrishow 2024, que começou ontem em Ribeirão Preto (SP). Os novos modelos, T25 e o T50, contam com a marca e assinatura do ex-presidente Jair Bolsonaro.“Temos certeza de que será um sucesso, já que a fábrica é líder global no segmento”, diz Sérgio Ricardo Orsolin, CEO da empresa.

 

 

Indenização para aldeias

 

Enquanto o fantasma das barragens assombra a região metropolitana de Belo Horizonte, as indenizações mensais para aldeias atingidas pelo lamaçal contagioso da Barragem da Samarco em Mariana vão chegar a meio bilhão de reais neste 1º semestre. É o somatório dos Auxílios Extra Emergenciais pagos a três etnias em Minas Gerais e Espírito Santo, cujos territórios, fauna e flora foram destruídos. Esses valores foram definidos pelo Fundo Renova, criado pela empresa sob tutela do Ministério Público. São repassados mensalmente R$ 5,3 milhões para 1.641 famílias de Tupiniquim e Guarani, no ES – R$ 316,6 milhões no total – e R$ 2,3 milhões para 181 famílias dos Krenak de Resplendor (MG), somando R$ 133,5 milhões. Desde a criação do fundo até este abril foram pagos R$ 450 milhões às aldeias.

 

Rompidos

O senador e ex-vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos-RS) rompeu de vez com o ex-presidente Jair Bolsonaro. O motivo seria o fato de Mourão não mais atender e tampouco retornar os telefonemas de Bolsonaro. A caixa postal está lotada de recados de assessores do ex-presidente, conta gente do seu staff.

 

Haddad & Faria Lima

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, palestrou para o Itaú num evento seleto em São Paulo no qual participaram apenas clientes com saldo acima de R$ 10 milhões. A turma saiu animada com o que ouviu. Falta combinar o ajuste fiscal com o chefe no Palácio, que insiste em gastar mais.

 

Querido da madrinha

Olavo Noleto, Secretário-Executivo do Palácio do Planalto, está pela bola 7. O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, acha que seu desgaste no Congresso vem da falta de articulação dele. Olavo é blindado pela madrinha Miriam Belchior.

 

Nova Nuclebras

A Comissão de Minas e Energia da Câmara Federal concedeu parecer favorável ao Projeto de Lei 5563/23, do deputado Júlio Lopes (PP-RJ), que altera o nome da Indústrias Nucleares do Brasil S.A. para Nuclebras. A criação da marca visa impulsionar a empresa no mercado internacional, visto que ela é responsável por todo o ciclo de produção do combustível nuclear.

 

 

Celebração de Sarney

 

A celebração dos 94 anos do ex-presidente José Sarney reuniu personalidades políticas – senadores, deputados e governadores de direita e de esquerda – de quase todos os Estados. Os convidados da festa, realizada na mansão dele no Lago Sul, bairro nobre de Brasília, foram recepcionados pela filha, Roseane Sarney, e assessores. Entre os ministros do Governo Lula, estiveram presentes Alexandre Padilha (Relações Institucionais) e o vice-presidente Geraldo Alckmin, que também comanda a pasta de Desenvolvimento, Indústria e Comércio. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), chegou quase no final da festa. O ex-ministro José Dirceu (PT) também marcou presença e trocou palavras com o ex-senador Gim Argello. Ambos foram alvos da Lava Jato. Presidente do MDB, o deputado Baleia Rossi foi um dos políticos mais paparicados e ficou do início ao fim do evento. Todos os convidados ficaram surpresos com a vitalidade do Sarney, que estava muito bem e lúcido após a queda que sofreu há dois meses.

 

Cobrança

Nos últimos dez dias, o vice-presidente, Geraldo Alckmin, recebeu em seu gabinete apenas um deputado e três senadores, conforme levantamento da Coluna: Jaime Bagattoli (PL/RO),  Laércio Oliveira (PP/SE), Chico Rodrigues (PSB/RR) e o deputado Dionilson Marcon (PT/RS). Esse foi um dos motivos para a cobrança do presidente Lula da Silva para que ele participe mais das articulações com o Congresso.

 

Solla x Brazão

Independentemente do deputado do PT escolhido para relatar o processo contra o deputado Chiquinho Brazão (sem partido-RJ), o parecer será pela cassação do parlamentar. A relatoria tende a ficar com Jorge Solla (BA) que chamou de canalhice o pedido de vistas de colegas em votação sobre a manutenção da prisão de Brazão na CCJ da Câmara.

 

Canetada

O Ministério da Saúde, que já tem recebido críticas pela epidemia de dengue, acaba de comprar uma nova briga. O decreto nº 11.999 altera o plenário da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), que faz a regulação e supervisão dos programas de Residência no país. A canetada duplicou os membros ligados ao Governo Federal, deixando as associações médicas sem efetivo peso nas decisões do colegiado.

 

TCU mira Apex

O TCU abriu processo para investigar “a atuação da Apex Brasil no processo licitatório que resultou na compra de nova sede”. O caso foi revelado pela Coluna. A comissão de licitação é apontada por uma das concorrentes – Paulo Octavio Empreendimentos -, por atuar sem transparência na tramitação e escolha de um dos projetos que concorriam, pelo qual a agência poderá pagar até R$ 6,7 milhões a mais que a proposta de menor preço.

 

Brasil em Londres

O ex-presidente Michel Temer (MDB) e seu indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Alexandre de Moraes, se encontram hoje … em Londres. Ambos são convidados do 1º Fórum Jurídico Brasil de Ideia. Participam do painel “O Papel do Judiciário para a Estabilidade Democrática”. Andrei Rodrigues, Diretor-Geral Polícia Federal, também estará por lá hoje.

 

Triunvirato

 

Depois do pito do presidente Lula da Silva, os líderes do Governo, José Guimarães (CE), do PT, Odair Cunha (MG), e o deputado Carlos Zarattini (PT- SP) formaram uma força-tarefa para ouvir a insatisfação e demandas dos colegas da base para repassá-las diariamente aos articuladores do Governo. Não desgrudam e, além dos gabinetes e do Plenário, abordam deputados nos corredores. Uma das queixas recorrentes é a dificuldade de agenda com ministros, reclamação que é enviada pelos três diretamente para os chefes das pastas. Os deputados também estão atuando com elo de encontro de ministros com vice-líderes, como a reunião desta semana entre Alexandre Padilha (Secretaria de Relações Institucionais) e Rui Costa (Casa Civil) e parlamentares do MDB, PDT, PSD, União Brasil, PSB e PCdoB.

 

Sob flechas

A ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, tem tentado apagar incêndio após o presidente Lula da Silva não ter cumprido a promessa de demarcar 14 terras indígenas. Ela admite que “é pouco”, mas tenta contemporizar as cobranças alegando que, neste um ano e quatro meses de Governo, foram homologados dez territórios indígenas. Nos dez anos anteriores, ela compara, foram apenas onze territórios demarcados.

 

Fora das pistas

Rubens Barrichello chegou acelerando fundo no mercado de apostas esportivas. Em um setor já saturado por celebridades, esportistas e ex-jogadores de futebol patrocinados por sites especializados em apostas, Rubinho adotou caminho diferente. O piloto foi anunciado como diretor não-executivo para a América Latina da SOFTSWISS, empresa europeia líder no desenvolvimento de soluções de software para iGaming.

 

Climão

Em uma coletiva de imprensa realizada na segunda, 22, no horário do almoço, na Embaixada da Autoridade Palestina, em Brasília, jornalistas de vários veículos passaram por situação constrangedora. O motivo: não foi servido o almoço para eles, sendo que serviu para os diplomatas presentes e seus respectivos motoristas. Todos os jornalistas foram embora e não publicaram nada sobre a entrevista.

 

Discrepância

Ao ver como “discrepância” a proposta de aumento de 57% para a presidente do Banco do Brasil, Tarciana Medeiro, o senador Cleitinho (Republicanos-MG) lembra que o reajuste do mínimo previsto para 2025 é de 2,6%. “Acho que tem que ter a consciência. Por isso o Brasil está como está”, afirma ao defender mudanças “no modo como o dinheiro público é administrado”.

 

Conselho de Lula

 

Além de falar grosso e verbalizar com ministros a insatisfação com a articulação política, o presidente Lula da Silva cogita ressuscitar o conselho político que manteve nos dois primeiros Governos e que também funcionou nos Governos de Dilma Rousseff. A ideia é ter o mesmo formato e periodicidade de reuniões – uma vez por semana – dos conselhos anteriores, com ministros do núcleo duro do Planalto e presidentes e líderes de partidos que integram a base no Congresso Nacional. O presidente também quer um pente-fino nos 20 vice-líderes do Governo na Câmara para eventuais trocas por parlamentares mais atuantes. Um deles caiu essa semana. Victor Linhalis (Podemos-ES) deixou o posto após divergências sobre projetos do Executivo.

 

Pedra no caminho

O PSD pode ser uma pedra no caminho do projeto do senador Davi Alcolumbre (União-AP) para suceder Rodrigo Pacheco (MG). A bancada mira apoio do PT para um eventual apoio do Palácio do Planalto. O líder do PSD, Otto Alencar, já está com o nome posto e é bem visto pela oposição, que tem criticado Pacheco por não reagir às supostas interferências do STF.

 

Fundação Dornelles

O Progressistas (PP) deu novo nome à fundação do partido, agora intitulada Fundação Francisco Dornelles, em homenagem ao ex-ministro da Economia. O evento, realizado no sábado (20), contou com presença de figuras de peso, como o senador Ciro Nogueira, o presidente da Câmara, Arthur Lira, e o ex-ministro das Cidades e conselheiro da Firjan Márcio Fortes de Almeida.

 

Disparidade

Mesmo com leis de incentivo à participação das mulheres, a política segue sendo ocupada majoritariamente por homens nos bastidores. Um jantar que aconteceu na última segunda (22) em apoio à reeleição do prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, reuniu caciques de vários partidos. Mas o detalhe que chama a atenção é o fato de haver apenas uma mulher presente: a deputada Renata Abreu (Podemos-SP).

 

Faz a diferença

A rede social da ativista de Direitos Humanos Maha Mamo não parou essa semana. A embaixadora da ONU para refugiados, a atriz premiada Cate Blanchet, a ativista Luiza Brunet – ambas amigas de Maha -, e amigos da ONU mandaram mensagens para ativista que é cidadã brasileira desde 2008. A razão é que Maha foi indicada da categoria mundo no prêmio Quem faz a Diferença.

 

 

A sede cara da Apex

 

Uma nova sede própria pode virar dor de cabeça para a ApexBrasil. A comissão de licitação é apontada por uma das concorrentes, a Paulo Octavio Empreendimentos, por atuar sem transparência e publicidade na tramitação e na escolha relâmpago de um dos projetos de edifício que concorriam no processo, pelo qual a agência poderá pagar até R$ 6,7 milhões a mais que a proposta de menor preço. A decisão de comprar uma sede surgiu em 2022, ainda no Governo Bolsonaro. No Governo de Lula da Silva, o presidente da agência, ex-senador Jorge Viana (PT), criou em junho de 2023 comissão para avaliar propostas. Surgiram ofertas de sete edifícios, das quais duas ficaram finalistas nos últimos meses: um projeto da Paulo Octavio e uma da Lotus Cidade, a vencedora, que pediu R$ 186,5 milhões. O Grupo PO ofertou por R$ 179,8 milhões, mas a comissão não deu ouvidos. O curioso caso do órgão federal que não quer o melhor preço pode parar na Justiça. Leia detalhes no site da Coluna.

 

Ocaso de Tebet

O desânimo da ministra Simone Tebet responde por dois nomes: no Planejamento hoje apagado na Esplanada, ela fica à mercê da ministra da Gestão, Esther Duek, e do ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Nada anda em sua pasta sem o aval da dupla.

 

Voos diários

Num momento em que o Governo lança o Voa Brasil, com passagens a R$ 200, a recuperação judicial da Gol Linhas Aéreas pode ser entrave ao programa. A Gol se encontra em processo de recuperação judicial nos EUA e deverá devolver 16 aeronaves Boeing 737. Esses aviões podem operar em média 90 voos por dia – oferta diária de 19 mil assentos.

 

Revolta pública

Os ministros palacianos Rui Costa e Alexandre Padilha articularam para derrotar o presidente da Câmara, Arthur Lira, e seu grupo político para que Chiquinho Brazão (sem partido) continue preso. Daí a revolta pública de Lira com Padilha. O objetivo dos palacianos é também enfraquecer a candidatura de Elmar Nascimento (União-BA) à sua sucessão, mostrando que Lira não tem tanto prestígio e comando na Casa como antes.

 

Na UTI

As críticas sobre a relação ruim de sua pasta com o Congresso Nacional fizeram Nísia Trindade balançar ainda mais na cadeira. Sua vaga pode cair nas mãos do MDB ou PP do Rio de Janeiro. Há uma velada disputa de nomes dos dois partidos. Até o ex-ministro José Temporão entrou na lista.